DICA: Como escolher Condicionadores de Ar neste verão, sem impactar na conta de luz?

Cuidados ao instalar o equipamento e manutenção constante são importantes para funcionamento do produto e segurança do usuário

A proximidade com o verão faz com o que os brasileiros busquem opções de produtos que aliviem a sensação de calor e proporcionem conforto e bem-estar, como ventiladores, climatizadores e ar-condicionados. Segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), divulgada no ano passado, a compra de aparelhos de ar aumentou em 9% no Brasil, entre os anos de 2005 e 2018. No entanto, antes de comprar o produto e instalar, há alguns cuidados que os consumidores devem seguir para que o condicionador de ar trabalhe com eficiência, sem aumentar demasiadamente a conta de luz. O gerente de marketing de produto da Midea, Gustavo Martins, explica que o mercado está aquecido para opções de aparelhos que priorizam a eficiência energética. “O consumidor brasileiro busca sempre por aparelhos que agreguem preço, tecnologia e, principalmente, economia de recursos. Em condicionadores de ar percebemos as mesmas tendências, por isso ampliamos nossa linha residencial com opções mais acessíveis financeiramente, mas, ainda com a qualidade e diferenciais comuns à marca Midea”, conclui. Ao fazer a busca por um novo equipamento de ar, o consumidor deve se certificar sobre o tipo de tecnologia que o produto apresenta, esse é um dos fatores primordiais na hora de escolher opções que impactem menos na conta de luz. A tecnologia Inverter é a que melhor exemplifica, pois significa que o ar-condicionado conta com um dispositivo eletrônico inteligente que ajusta a velocidade do compressor, sem que o mesmo precise ligar e desligar, conforme a temperatura suba ou desça. Esse componente é o responsável por manter o condicionador de ar em funcionamento, sem picos de energia e com mais conforto para o consumidor, estabilizando a temperatura do ambiente. Quanto maior o tempo de uso do ar condicionado, mais evidente fica a vantagem da tecnologia Inverter.

A linha de aparelhos de ar condicionado residenciais da Midea Carrier, por exemplo, apresenta menos impacto na conta de luz e mais tecnologia ao usuário. Este ano, a marca lançou o Multi Split Inverter Springer Midea,  que permite climatizar até cinco ambientes com apenas uma unidade externa. Ao mesmo tempo, permite personalização das unidades internas de acordo com a necessidade de cada ambiente. São 4 tipos diferentes de unidades internas, em diversas capacidades. Equipado com a tecnologia Inverter, o produto reduz o consumo de energia, minimiza ruídos durante o funcionamento e remove impurezas do ar com o Ionizador + Tripla Filtragem (unidade interna tipo “High Wall”).

AirVolution Fixed Speed, outro produto recém-lançado da marca, compõe os ambientes sem impactar na decoração e visual do espaço, já que sem perder eficiência, sua condensadora é a menor e a mais leve entre os modelos de sua categoria. Segundo divulga a empresa, além de atributos como funções sleeptimer e programação favorita, o equipamento conta com Modo Dormir, que permite ao aparelho ajustar-se automaticamente, performando com o máximo de conforto e economia.  “Ainda com foco em economia de energia, o Xtreme Save, Hi Wall Inverter residencial é equipado com a tecnologia Inverter Quattro, que além de promover conforto e bem-estar para os usuários, é eficiente energeticamente. Na Função Eco Noite, você passa uma noite confortável por menos de R$1,80″, garante.

Bem, além de escolher o modelo adequado, o consumidor precisa evitar erros comuns ao instalar o ar-condicionado. Confira: 

1 – Instalação elétrica: É muito importante que a instalação do condicionador de ar seja realizada por um profissional capacitado e que possa avaliar se a instalação elétrica do imóvel é a indicada pelo fabricante do equipamento. Construções antigas e com fiação desatualizada tendem a ter bitolas de fios não dimensionadas para o funcionamento do produto. Isso expõe os moradores ao risco de sobrecarga energética e possível incêndio.

2 – Posicionamento da condensadora: A instalação da condensadora, assim como a da evaporadora, deve seguir as orientações do fabricante. Essa parte do equipamento não deve ser colocada em locais fechados, pois o produto precisa fazer a troca de calor, ou seja, descarregar o calor do ambiente interno em uma área externa ventilada. Qualquer tipo de objeto cobrindo essa parte do dispositivo faz com o que o maquinário trabalhe com mais intensidade e consuma mais energia elétrica.

3 – Higiene: Para o bom funcionamento do condicionador de ar é muito importante que os consumidores estejam atentos ao prazo para limpeza do filtro e a higiene no entorno da condensadora. Resíduos acumulados na peça de filtragem do ar, além de prejudicial à saúde, não permitem a dispersão de ar , exigindo que o aparelho trabalhe mais, consumindo mais energia. A condensadora, como parte importante na troca de calor do ambiente para a área externa, também deve estar limpa, assim como o local onde está instalada, pois resíduos acumulados ao redor e sob o produto fazem com que o maquinário trabalhe com mais intensamente e, como consequência, consuma mais energia elétrica.

4 – Regiões litorâneas: O ar-condicionado instalado em casas e apartamentos de regiões próximas ao mar estão sujeitos a névoa salina, comumente conhecida como maresia, que resulta na corrosão de metais, por isso, é recomendado aos clientes dessas localidades que façam a limpeza frequente do produto com água doce na parte da condensadora.

O gerente de marketing conclui, “antes de adquirir o equipamento de ar, o comprador deve pesquisar sobre modelos e tecnologias que melhor se adequem a sua necessidade, porém, essa busca só será efetiva se a instalação do produto for apropriada e em um local compatível com as especificações técnicas de cada tipo”.

COMPARTILHE