China produz quase 160 mil equipamentos de ar-condicionado com propano

Publicado em 4 de setembro de 2019

Os oito maiores fabricantes chineses de equipamentos de ar-condicionado, entre os quais Gree, Midea e Haier, mencionaram a produção de 157.920 Sistemas de Climatização com propano (R-290) neste ano.

O fato segue a promessa das indústrias feita em outubro do ano passado durante o evento internacional de tecnologias alternativas aos gases refrigerantes à base de hidroclorofluorcabonos (HCFCs) realizado em Ningbo, na província chinesa de Zhejiang.

As empresas se comprometeram a vender até 31 de julho deste ano 220 mil sistemas divididos no mercado interno com o fluido refrigerante inofensivo à camada de ozônio e de baixo potencial de aquecimento global (GWP, na sigla em inglês).

Embora os números apresentados pelas empresas estejam abaixo da meta assumida publicamente, os resultados iniciais representam um esforço concreto para aumentar a produção de equipamentos de climatização com R-290 no país.

Ole Nielsen, chefe da divisão do Protocolo de Montreal da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido), disse: “Parabenizo o governo da China, a associação dos fabricantes de eletrodomésticos e, em particular, as oito indústrias por suas realizações nessa área”.

 

Representantes da ONU, do Governo Chinês e da indústria local na reunião sobre a implementação das metas do Protocolo de Montreal, realizada em outubro do ano passado.

E acrescentou “Espero que as lições aprendidas possam facilitar a adoção do R-290 na China e no resto do mundo. A transição para um refrigerante de baixo GWP, combinada com melhor eficiência energética, é essencial para o cumprimento das metas climáticas da Emenda Kigali”.

Visando incentivar o setor, o governo lançou um programa especial para apoiar os fabricantes no treinamento de técnicos para instalação e manutenção desses equipamentos.

O governo chinês declarou que, juntamente com a associação dos fabricantes, continuará analisando o progresso das vendas de splits com R-290 até que a meta inicial de produzir 220 mil unidades seja alcançada para, em seguida, discutir com as companhias as metas subsequentes e as próximas etapas dessa iniciativa.

Outro desafio está relacionado ao baixo limite carga de R-290 nos ares-condicionados, um fator que restringe o desempenho deles.

Também são necessários mais tempo e recursos para converter toda a cadeia de suprimentos da indústria para operação com gases refrigerantes inflamáveis. Isso inclui armazenamento, transporte, instalação, manutenção e muito mais.

As autoridades e representantes do setor reconhecem que a conscientização geral sobre o uso dessas substâncias na indústria precisa melhorar.

COMPARTILHE