ARTIGO: Como funciona a resistência do EPS? Por Karen Peroni Maia*

Especialista do Grupo Isorecort explica o desempenho do “isopor”, desde quando aplicado em tubulações e dutos de ar-condicionado até como suporte a equipamentos industriais e na proteção de móveis e eletroeletrônicos

Presente em diferentes tipos de instalações, o EPS, ou poliestireno expandido (popularmente conhecido como “isopor”), apresenta características físicas e mecânicas que se destacam quando o comparamos a outros tipos de materiais que exercem a mesma função. Leve e versátil, ele pode ser cortado em diversos formatos e modelos, de acordo com o projeto, e utilizado em tubulações, dutos de ar-condicionado, no suporte a equipamentos industriais e na proteção de móveis e eletroeletrônicos, proporcionando resistência ao calor e à compressão. “Transformado industrialmente para atender necessidades específicas, a densidade do EPS pode variar do tipo 1F (10 kg/m³) a 8F (48 kg/m³), sempre em conformidade com a norma da ABNT NBR 11752”, explica a engenheira civil, Karen Peroni Maia, do Grupo Isorecort. Dependendo da aplicação, o material precisa cumprir diferentes funções de segurança, desde firmeza e sustentação até absorção de impactos e isolamento térmico. Mas, afinal, como funciona a resistência do EPS ao ser aplicado em diferentes soluções?

Uso em tubulações — Resistente à altas temperaturas, as calhas em EPS impedem que as tubulações sofram alterações térmicas, oferecendo o melhor desempenho ao isolar a temperatura. Fabricadas a partir de blocos de média ou alta densidade, contam com a possibilidade de encaixe macho-fêmea, permitindo maior assertividade e agilidade na montagem. Além disso, o material possui baixa absorção de água, é resistente ao mofo, atóxico e quimicamente neutro.

Uso em dutos de ar condicionado — Forte aliado para manter a temperatura do ar que passa pelas chapas galvanizadas dos dutos até a saída pelos difusores, as placas em EPS atuam como isolante térmico para que o ar-condicionado chegue aos ambientes com temperatura e umidade adequadas. O isolamento evita a condensação do vapor d’água na face externa, que provoca o gotejamento e a oxidação do duto. Com estrutura resistente e baixa absorção de água, as placas em EPS possuem aditivo de retardante a chamas, atendendo às exigências de normas técnicas como a BS EN ISO 11925-2, que trata da determinação da ignitabilidade dos materiais quando expostos a chamas.

Suporte a equipamentos industriais — Conferindo proteção e suporte de produtos e equipamentos sensíveis a avarias, as peças em EPS para suporte a equipamentos industriais possuem alta resistência à compressão e à flexão, podendo suportar a cargas distribuídas de até 40 toneladas por metro quadrado. Podendo ser utilizado em diversas aplicações, devido à sua versatilidade e facilidade de moldagem de acordo com as características de cada projeto, o material também possui aditivo de retardante a chamas, oferecendo proteção sob medida contra sujeira, umidade, vibração, impacto e variação de temperatura.

Proteção de móveis a eletroeletrônicos — Como embalagem personalizada, o EPS oferece segurança e proteção no manuseio, desde o armazenamento até o transporte de móveis e eletroeletrônicos. As peças podem ser moldadas ou recortadas em diversos formatos, dimensões e densidades, conforme a característica do projeto. Resistente a impactos e à deformação, outro destaque é que as embalagens em EPS suportam altos níveis de empilhamento.Com forte apelo ambiental, o EPS é composto por 98% de ar e apenas 2% de matéria-prima, é isento de produtos tóxicos ou perigosos, tanto para o ambiente como para a camada de ozônio (é isento de CFCs), e ao final de sua vida útil, é 100% reciclável.

*Karen Peroni Maia, engenheira civil do Grupo Isorecort

Sobre o Grupo Isorecort – Um dos principais transformadores de EPS (isopor) do país. É líder de mercado no segmento da construção civil e no desenvolvimento de peças técnicas para aplicações industriais. Fundado há mais de 15 anos, está presente nos estados de São Paulo e Minas Gerais, atendendo clientes em todo o Brasil. Com Sistema de Gestão da Qualidade certificado pela ABNT NBR ISO 9001, o Grupo integra diversas entidades que visam ao desenvolvimento sustentável do setor, como a Comissão Setorial do EPS da Associação Brasileira das Indústrias Químicas (Abiquim) e o Comitê de EPS do Instituto Socioambiental dos Plásticos (Plastivida), além de ser a única empresa do segmento a ser membro do GBC Brasil (Green Building Council – Brasil), organização que tem por objetivo fomentar o desenvolvimento da indústria da construção sustentável no país, atuando de forma consciente na preservação do planeta. Mais informações podem ser acessadas em www.isorecort.com.br.
Postado em 27 de junho de 2022.
COMPARTILHE