“Aporte de US$ 100 milhões de dólares nos próximos três anos tem como meta equipamentos elétricos”, diz Thermo Kingtem

Thermo King equipamentos de climatização elétricos
A Thermo King, empresas atuante no segmento de climatização automotiva de refrigerados anuncia investimento de mais de US$ 100 milhões de dólares nos próximos três anos. O aporte, segundo a empresa, tem por objetivo entregar equipamentos de climatização elétricos nos segmentos da Cadeia do Frio até 2023. O portfólio elétrico da empresa, por meio da marca Evolve, incluirá soluções de refrigeração elétrica para caminhões, reboques, ferrovias, transporte aéreo e marítimo nas regiões da África, da Europa e do Oriente Médio até 2023; e da América Latina e América do Norte, até 2025. “O portfólio em evolução se baseia em nossos esforços para ajudar os clientes a reduzir o impacto ambiental e cumprir suas metas de sustentabilidade à medida que fazem a transição de frotas e se mantêm à frente das regulamentações futuras”, disse Paul Camuti, diretor de tecnologia e sustentabilidade da Trane Technologies, que faz parte do mesmo grupo de empresas da Thermo King.

Thermo King equipamentos elétricos

Economia de combustível de até 30% – A expectativa é que os aparelhos sejam 30% mais econômicos em termos de combustível comparando com a média do mercado. Assim, os equipamentos podem operar em uma variedade de fontes de energia, como a costeira, a híbrida, a bateria de espera e a gerador de eixo.  “Nossa experiência em eletrificação posicionou a Thermo King como um parceiro de confiança para líderes respeitados da indústria, como Isuzu, Tesco, Mercedes-Benz e empresas de tecnologia como ELMS, Gatik e BPW, que continuam a encontrar novas maneiras de inovar na cadeia de frio”. afirma Karin De Bondt, presidente da Thermo King Americas. “Por meio dessas parcerias estratégicas, podemos promover nossos avanços em soluções de energia sustentável e ofertas de produtos eletrificados que atendem aos requisitos do cliente, regulamentares e ambientais em nossa indústria e em nosso mundo”, completa De Bondt.
COMPARTILHE