Desidratador de Amônia Mayekawa: eficaz na remoção de umidade em Sistema de Refrigeração Industrial

A Mayekawa do Brasil projetou com exclusividade o desidratador de amônia DA 4090 que garante a performance do sistema

Quando um sistema de refrigeração industrial que funciona com o fluido refrigerante amônia , contamina-se com umidade , nem sempre as consequências são verificadas de imediato , é praticamente um inimigo oculto que atua diretamente na redução de capacidade frigorifica do sistema , fazendo com que os compressores tenham que funcionar por mais tempo para atingir o set-point estabelecido , em palavras simples ocorrerá um aumento no valor da conta de energia elétrica devido à redução de performance do sistema. Esse cenário pode ser revertido, através da remoção de umidade do sistema, e é aí que entra o desidratador de amônia DA-4090, um produto exclusivo da Mayekawa do Brasil, que tem por objetivo remover a umidade instalada do sistema de Refrigeração, que utiliza a amônia como fluido refrigerante. “O desidratador de amônia DA-4090 foi especialmente projetado para trabalhar com temperatura de evaporação abaixo de – 6 °C”, informa o supervisor de Assistência Técnica, Marcos Fagundes. Segundo explica, o equipamento oferece muitas vantagens em sua utilização: “O grande benefício é o restabelecimento de eficiência do sistema, pois o desidratador de amônia Mayekawa remove o acúmulo de água que normalmente se concentra na parte inferior de separadores de líquido e evaporadores, resultando em melhor troca térmica do fluido refrigerante, restabelecendo assim o COP do especificado no projeto da instalação”, explica. O equipamento também protege o sistema contra a formação de borras e oxidações, pois “ao inibir a presença indesejada de água, itens como válvulas, tubulações e vasos de pressões ficam protegidos contra corrosões internas”, alerta o supervisor. Ele acrescenta, ainda, que o DA-4090 contribui para a redução no consumo de óleo, pois evita a formação de compostos solúveis na amônia, que podem facilmente se fixar nos filtros coalescer presentes no separador de óleo, “reduzindo sua vida útil e por consequência causando consumo excessivo de óleo lubrificante”, conclui Marcos Fagundes.

COMPARTILHE