HVACR em Hospital de Águas Claras promete rendimento térmico

Os Sistemas HVACR  protegem os pacientes que estão no hospital, por meio da higienização corretas dos ambientes, previsto por normas e leis específicas brasileiras – como o PMOC (Plano de Manutenção, Operação e Controle) bem elaborado e fundamental ao longo da vida útil do sistema e no controle de infecções hospitalares.

Desta forma, a  Salles Engenharia executa projeto de HVACR para o Hospital de Águas Claras, em Brasília-DF, da Rede Ímpar. A obra é feita por meio de um longo e detalhado processo de estudo, afirma a empresa. O responsável pela obra, Leonardo Salles, afirma que o estudo no Hospital teve início há três anos antes da efetiva implantação. “Realizamos um estudo minucioso do planejamento apresentado pelo cliente e em conjunto com o projetista e com os principais fabricantes de equipamentos otimizamos a solução, trazendo mais eficiência e baixo custo para o plano”.

Obra

Segundo a empresa, o trabalho HVACR consiste na instalação de um sistema de água gelada de alta capacidade no centro do Hospital. Possui capacidade de 1050 TR, 84 Fancoils (climatizadores) e 12 Unidades de Tratamento de Ar, acompanhados de um sistema de controle de umidificação com variadores de frequência.

Além disso, foram instalados mais de 325 condicionadores de ar do tipo dutado, hi-wall e piso teto. Desta forma, segundo a empresa, abrange com total eficiência em toda a estrutura do hospital.

Chllers instalados no Hospital de Águas Claras.

Outra execução no empreendimento foi a instalação de equipamentos com válvula de controle e balanceamento do tipo independente de pressão. O que fornece autonomia de controle para os usuários de cada ambiente e suas necessidades variantes.Para o diretor técnico da A. Salles, o engenheiro Díllson de Freitas, o principal desafio da empresa foi a necessidade de reduzir 20% nos custos de implantação para atender ao orçamento do cliente. “Para adequarmos a obra, foi necessário diminuir o prazo de execução, porém sem afetar o nível da qualidade das instalações. Adotamos, então, os métodos padronizados de fabricação das redes de dutos em MPU e das redes hidráulicas”, declara Freitas.

Por fim, a instaladora cita como o maior destaque do projeto as instalações das redes de dutos de ar com materiais conhecidos no mercado como “dutos de MPU’’, por serem bem mais leves em relação aos de chapas de aço, tornando a fabricação e montagem mais rápida.

“Outras vantagens desse projeto são o ruído zero na fabricação, ferramentas leves e a simplicidade na montagem. Com isso, houve uma significativa redução no peso de instalações sobre o forro, redução do prazo e, por fim, custo de implantação”, finaliza Salles.

COMPARTILHE