Asbrav: palestra enfatizou que as melhorias no sistema de tratamento do ar podem reduzir em até 40% chances de proliferação de doenças respiratórias

Evento realizado na Asbrav mostrou que projeto adequado e correta manutenção são aliados para promoção da melhoria da qualidade do ar interior

A caminhada em direção ao fim da pandemia passa por dois grandes fatores: políticas governamentais e políticas corporativas. De um lado, é papel do governo assegurar a vacinação e atendimento para população. Porém, o outro lado tão importante quanto este é das empresas, onde entram as políticas empresariais que são aliadas na prevenção de doenças respiratórias. O tema foi tratado em palestra realizada na sede da Asbrav – Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento de forma híbrida com parte dos presentes no auditório e transmissão on-line.

“Entre as diversas medidas estão rodízio de funcionários, aumento da frequência de higienização rastreamento de sintomas e distanciamento social. Porém a parte que cabe ao setor de climatização é importantíssima. Estudos da ASHRAE já mostraram que apenas com a melhoria no sistema de tratamento do ar pode se reduzir em 40% a chances de proliferação de doenças respiratória afirmou o palestrante, engenheiro Wagner Ueno. A outra observação é a importância de um bom sistema de renovação de ar. Pesquisas já mostraram que a troca constante de ar em um ambiente deixa as pessoas mais produtivas. “Os estudos mostram que um índice baixo de CO2 faz com que a pessoa tenha mais dificuldade em tarefas que requerem iniciativa. Além disso, o ser humano sente cansaço e não consegue pensar estrategicamente neste ambiente”, completa. A palestra abordou a interconexão digital de objetos de medição e sensoriamento com a internet, que em sistemas de climatização garantem a qualidade do ar interior e ao mesmo tempo controlam o uso da energia. O palestrante destacou que a chamada “Internet das Coisas” ou IoT é algo que veio para ficar.

COMPARTILHE