Paranapanema apresenta crescimento de 6,8% na Receita Líquida do 2T de 2021

No segundo trimestre de 2021, os principais focos da Paranapanema foram assegurar a saúde dos colaboradores próprios e terceiros por conta da pandemia da COVID-19, a gestão do fluxo de caixa por meio da eficiência em custos e otimização do capital de giro, além da negociação das dívidas com os principais credores da empresa. A Paranapanema apresentou uma Receita Líquida de R$ 1,16 bilhão no segundo trimestre de 2021 (2T21), aumento de 6,8% em relação ao mesmo período de 2020. No trimestre, a metalúrgica obteve um melhor mix de vendas de produtos, com a ampliação das vendas de produtos de maior valor agregado, bem como pela contribuição resultante do aumento da receita de coprodutos. Com isso, o EBITDA ajustado, que exclui os efeitos de LME (preços do cobre na London Metal Exchange, a bolsa de metais de Londres) e dólar no estoque, OCI (Ajuste de Avaliação Patrimonial), contingências e demais efeitos não recorrentes, fechou o 2T21 positivo em R$ 22,3 milhões, um crescimento de R$ 66,7 milhões em relação ao 2T20 – o que representa 150% de aumento. Além disso, como continuidade ao trabalho de otimização de custos e redução nas Despesas Gerais, de Vendas e Administrativas (SG&A), a Paranapanema apresentou no 2T21 uma redução de 17,4% em relação ao 2T20. Desta forma, a empresa registrou Lucro Líquido de R$ 208,9 milhões no segundo trimestre, impactado positivamente pela valorização da moeda nacional em relação ao dólar norte-americano, em especial sobre seu endividamento.

A Paranapanema vem aumentando a utilização de matéria-prima reciclável no processo produtivo. O índice de uso desses materiais passou de 9,1% no 2T20 para 21,9% no 2T21. Tal iniciativa estratégica ajuda a preservar o meio ambiente e reduz a necessidade de capital de giro da empresa. A Companhia continua trabalhando para equalizar o perfil de sua dívida financeira. Desde o primeiro trimestre de 2020, vem tratando com seus principais credores financeiros (essencialmente os mesmos que participaram do processo de renegociação em 2017) o alongamento do perfil de sua dívida, a fim de se adequar à sua futura geração de caixa e necessidade de investimento. Em maio, um passo importante foi dado: a Paranapanema assinou o MOU (Memorando de Entendimentos Não Vinculante para a Renegociação de Dívidas), juntamente com seus principais credores financeiros, formalizando entendimentos com relação ao novo processo de renegociação das dívidas. “A assinatura do MOU com os credores, primeiro passo rumo à conclusão da renegociação, a contínua disciplina em custos e despesas e o aumento da participação de matéria-prima reciclada no nosso processo produtivo vem dando sustentação aos nossos resultados econômicos. Esperamos que, tão logo concluída a reestruturação da dívida, possamos crescer nossos volumes de produção para que haja uma melhoria substancial na geração de caixa operacional” – completa Luiz Aguiar, diretor-presidente da Paranapanema.

ACESSE AQUI  para assistir ao vídeo sobre a Eluma, divisão de Cobre da Paranapanema

Sobre a Paranapanema – A Paranapanema S.A. é a única produtora nacional de cobre primário, responsável pela produção e comercialização de cátodos, vergalhões, fios trefilados, laminados, barras, tubos e conexões de cobre e suas ligas. A companhia encerrou o ano de 2020 com receita de R$ 4,3 bilhões, tendo exportado seus produtos para cerca de 20 países. A empresa foi fundada em 1961 e tem capital aberto desde 1971, integrando o Novo Mercado da B3 desde 2012. Possui três unidades industriais, no Polo Industrial de Camaçari, em Dias d’Ávila (BA), em Santo André (SP) e em Serra (ES) e gera cerca de 2 mil empregos diretos.

COMPARTILHE